O Desserviço e o Subemprego

por Gustavo Bittencourt:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Recentemente uma experiência me fez pensar nos motivos que levam os serviços brasileiros a serem tão ruins. Domingo de compras, estava chegando em uma loja de material de construção, quando uma funcionária me informou que eu não estava entrando pelo lugar certo. Achei a abordagem estranha e parei para observar, a entrada certa era escondida e por algum motivo bizarro a que eu tentei passar só podia ser usada como saída. Mas eu não errei sozinho, muitas pessoas tentavam usar a entrada e todas eram abordadas pela mesma funcionária. Primeiro ponto, que bela estratégia e que belo emprego da funcionária. Segundo ponto, existe uma relação direta entre o subemprego dela e o desserviço que me foi prestado.

O Brasil aboliu a escravidão anteontem, 1888, antes disso era normal que pessoas fossem exploradas e trabalhassem por comida. De certa forma essa estrutura se mantem até hoje, temos um ecossistema de vagas que subutilizam pessoas, sem nenhuma perspectiva de crescimento e aprendizado, com atividades mecânicas e repetitivas. Essas pessoas recebem salários baixos, se submetem a essas posições por falta de escolha e acabam vestindo essa camisa com o tempo. Empregos que não estimulam acabam sendo um criadouro de pessoas acomodadas, que não buscam melhorar e acabam passando esse mau humor para frente. Quem nunca foi atendido por um funcionário que descontou essa estrutura e a situação que estava vivendo? Essa é a relação direta entre uma coisa e outra, mas não é a única.

O fato de poder contar com funcionários com baixos salários e que acabam se submetendo a trabalhar em posições como essas faz com que tenhamos serviços esquizofrênicos. Pagar para uma pessoa ficar avisando a entrada certa foi uma solução para a loja de material de construção, pagar para ter várias pessoas limpando e arrumando mesas pode ser uma opção para uma rede de fast food. Essas opções fazem com que os serviços do nosso país possam ser menos estruturados, com que as pessoas que pensam esses sistemas possam ter a opção de colocar alguém resolvendo as falhas ao invés de repensarem os serviços.

Levar a experiência e o ponto de vista de quem usa em consideração e contar com pessoas motivadas e que desempenhem um papel importante no funcionamento do serviço não é fácil, mas precisamos desesperadamente desse esforço. Não vamos conseguir ter bons serviços enquanto convivermos com o subemprego. Eu particularmente não aguento mais ser mal atendido.

@Gus_Bittencourt

Comments are closed.